sábado, 19 de janeiro de 2013

RAIMUNDO DE OLIVEIRA


       
RAIMUNDO DE OLIVEIRA  (AUTO-RETRATO)
 
 
 



Raimundo Falcão de Oliveira, mais conhecido como Raimundo de Oliveira, pintor, gravador e desenhista baiano,  nasceu em Feira de Santana, em 1930.
Filho de uma pintora com forte temática religiosa,  Raimundo foi  desde cedo  iniciado no desenho, na pintura e na religião. Estimulado pela sua professora de desenho, expôs pela primeira vez no ginásio onde estudava, Ginásio Santanópolis. Nessa exposição, fez os retratos de seus professores.
Em 1947, foi para Salvador,  onde  ingressou na Escola de Belas Artes da Universidade da Bahia. Foi aluno da pintora Maria Célia Amado e conheceu Mário Cravo Júnior e Jenner Augusto.
Assim iniciado, realizou sua primeira exposição individual no hall da Prefeitura de Feira de Santana, em 1951. Depois, foi residir em São Paulo e no Rio de Janeiro. Em 1966, regressou para a Bahia e neste ano, ainda jovem, com 36 anos de idade, pôs fim a sua vida cometendo  suicídio.
No  ano do suicídio, foi editada a “Pequena Bíblia de Raimundo Oliveira”, uma coletânea  de xilografias prefaciada  por Jorge Amado. Em 1982,  a Fundação Cultural do Estado da Bahia publicou o álbum “Via Crucis” e inaugurou a Galeria Raimundo de Oliveira.
A obra de Raimundo de Oliveira  gira em torno de um contexto religioso  onde se vê, às vezes em uma mesma cena,  santos, anjos,  cenas bíblicas, e passagens do Evangelho.  Dizem os entendidos que no início, de 1950 a 1960, tinha cores sombrias e caráter expressionista. Depois, se aproximou de pequenos enredos de passagens bíblicas e pessoas apequinadas.
ALGUMAS CRÍTICAS, SURGIDAS APÓS A SUA MORTE:
“Raimundo de Oliveira, filho da terra, desde menino um vago, sem jeito para o trabalho, a não ser para riscar papel, se isso é trabalho que se considere. Tinha ido embora fazia tempo, dele não havia notícia. Apareceu agora de repente e em torno de sua grande cabeça pairava uma atmosfera mágica, como se o cercasse a luz da madrugada” (Jorge Amado).
“Esse pintor, esse grande pintor da Bíblia e da Bahia, esse que passou a limpo a violência do Velho Testamento e o tornou de maciez de veludo, esse que encheu de flores a áspera tragédia antiga, esse moço de voz tímida e segura certeza, esse Raimundo de Oliveira é um profeta com alma de Francisco de Assis. Só a Bahia o podia produzir, nos caminhos da cidade onde nasce o sertão; só a Bahia o podia alimentar e o oferecer às galerias do sul, à glória e à fama, pois sua Bíblia tem uma respiração de candomblé. Mestre pintor, não sei de outro que tenha crescido tanto em sua arte”  (Jorge Amado).
 
“Raimundo de Oliveira (...) não ficou na Bahia. Era um profeta e tinha de levar sua profecia mundo adentro. Tinha de correr os caminhos e demorar em terras distantes. Anda por aqui e por ali, mas é na Bahia que ele vem se alimentar de terra, de animais, de Deus e de amor, é na Bahia que ele vem, humilde e vitorioso, reapreender o mistério do homem e sua necessidade de paz e de fartura" (Jorge Amado).
"Este livro de xilogravuras ("Pequena Bíblia de Raimundo de Oliveira") nasceu há mais de dois anos, quando Raimundo de Oliveira me procurou para que eu o ajudasse a distribuir convites para a sua exposição, na Galeria Astréia. Saímos juntos, nessa simples missão, e foi no caminho que nasceu a idéia de fazer uma pequena Bíblia. Daí em diante, durante muitos meses, trabalhamos em estreita colaboração. Levamos bastante tempo escolhendo as cenas bíblicas que nos pareciam mais representativas. Essa escolha levava em consideração tanto o aspecto bíblico como o artístico. Além disso, teve que sujeitar-se às limitações impostas pela técnica da xilogravura" (Júlio Pacello).
"Apesar da ingênua composição plástica de suas obras e de sua franca rebeldia em relação à disciplina escolar (...) jamais foi, como equivocadamente o apresentaram (...), um primitivo, um "naif" (...) estava preocupado com a problemática estilística que lhe provocavam os temas e as narrativas religiosos, interpretando-os com cenas de extremo lirismo" (Clarival do Prado Valadares).
 
FONTE: ITAÚ CULTURAL
 
 
 
OBRAS DE RAIMUNDO DE OLIVEIRA
 
DOMINGO DE RAMOS
NANQUIM
 
"PEQUENA BÍBLIA"
XILOGRAVURA,
 
 
CENA BÍBLICA
AQUARELA, 1958
CRISTO
GUACHE
 
ARTE PRIMITIVA
XILOGRAVURA
 
MADONA
ÓLEO SOBRE TELA, 1950
 
ANJO
TÉCNICA MISTA SOBRE PAPEL, 1958
 
CRISTO
TÉCNICA MISTA SOBRE PAPEL, 1959
 
 
 
 
 
 
 
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário