terça-feira, 13 de novembro de 2012

CARLOS VALADARES



CARLOS VALADARES




Carlos Valadares da Silva, mais conhecido como como Carlos Valadares, advogado e político de renome, nasceu em Santa Bárbara, distrito de Feira de Santana, no dia 22 de Abril  de 1911.
Em Santa Bárbara realizou os primeiros estudos e, no dizer de Lélia Fernandes, sua biógrafa, “trabalhou com seu pai, vendendo pão e bebidas nas feiras livres”.
Realizou o curso ginasial no Ginásio Carneiro Ribeiro, em Salvador, onde passou a residir em casa de um parente, tão pobre quanto seu pai.
Impressionado com a dedicação do pobre e esforçado aluno, o Prof. Carneiro Ribeiro, diretor do Ginásio que tem o seu nome, resolveu ajudá-lo, convidando-o “para ensinar no Colégio, onde ficou interno, mantendo-se com o produto do trabalho” (Ibidem).
Concluídos os preparatórios, Carlos Valadares ingressou na Faculdade de Direito da Bahia, pela qual foi diplomado em 01 de dezembro de 1932.
Formado, iniciou a profissão de advogado na cidade de Palmeiras, no interior da Bahia.
Em 1941, mudou-se para Feira de Santana, onde passou a residir. Cinco anos depois, foi guindado ao cargo de Prefeito Municipal, e deu prosseguimento à uma brilhante carreira política que o levou à Assembléia Legislativa, para onde foi conduzido por dois mandatos sucessivos. Alçaado à presidência da Assembléia, assumiu o Governo do Estado por alguns meses, durante a ausência do Governador Otávio Mangabeira.
Em 1950, foi eleito Deputado Federal, permanecendo na Câmara dos Deputados até 1955.
De sua bibliografia destacamos dois livros: “Prisão Preventiva” e “Em Defesa de um Espólio”.
Advogado competente, homem probo e simples, político honesto e consciencioso, gozou Carlos Valadares, em Feira de Santana e em todo o Estado da Bahia, por toda a parte por anda andava, respeito invejável e imenso prestígio.
Faleceu em Salvador, em 1966, cercado de amigos e admiradores. Morreu pobre, deixou sua biblioteca para os advogados da Bahia e emprestou seu nome a vários lougradouros e escolas espalhados em vários lugares da Bahia.
 ===============================================================================


CENTENÁRIO DE NASCIMENTO DE CARLOS VALADARES
 

A Câmara Municipal de Feira de Santana realizou sessão especial, na quinta-feira, 26, em homenagem ao centenário de nascimento do advogado, ex-prefeito de Feira de Santana e ex-governador da Bahia Carlos Valadares da Silva. A sessão foi proposta pelo vereador Justiniano França (DEM), também responsável pela saudação aos familiares, amigos do homenageado e demais presentes.
Os trabalhos da noite foram coordenados pelo presidente da Casa, vereador Antônio Francisco Neto (DEM). Coube a professora e escritora Lélia Vítor Fernandes, presidente da Academia de Letras e Artes de Feira de Santana, proferir palestra sobre a vida e a trajetória do homenageado. Nascido em 22 de abril de 1911, na Vila de Coração de Maria, Carlos Valadares realizou seus primeiros estudos na localidade de Santa Bárbara. Ao concluir o primário, foi cursar o ginasial no Colégio Carneiro Ribeiro, em Salvador. Ingressou na Faculdade de Direito da Bahia, formando-se em 1º de dezembro de 1932, sendo, inclusive, o orador da turma.
Logo após a formatura, Carlos Valadares iniciou as atividades como advogado na cidade de Palmeiras, na região de Ituaçu, interior baiano, transferindo-se para Feira de Santana, em 1941, onde montou escritório de advocacia e tornou-se membro da Ordem dos Advogados. O ingresso na carreira política se deu cinco anos depois, quando foi nomeado prefeito da cidade, função que exerceu entre 12 de agosto de 1946 e 24 de fevereiro de 1947, afastando-se do cargo por ter sido eleito deputado estadual da Assembléia Constituinte. Em 1949, Carlos Valadares foi eleito para o primeiro de dois mandatos consecutivos como presidente da Assembleia Legislativa da Bahia.
A trajetória política dele foi marcada em 22 de junho de 1949, quando ele assumiu interinamente, pela primeira vez, o posto de governador da Bahia, substituindo o titular Otávio Mangabeira, que estava viajando para o Rio de Janeiro. Ele assumiria a mesma função algumas outras vezes. Até que, por motivo de doença, Mangabeira transmitiu-lhe definitivamente o cargo em fevereiro de 1950.
No ano seguinte, elegeu-se deputado federal, permanecendo na Câmara dos Deputados até 1955. Nesse período, ele deu continuidade à luta para dotar Feira de Santana de um sistema de abastecimento de água, benefício conquistado em janeiro de 1957, quando o presidente da República Juscelino Kubitschek e o governador da Bahia Antônio Balbino inauguraram o serviço nesta cidade. Após o término do mandato federal, Carlos Valadares retornou à Feira de Santana.
O homenageado também presidiu o Rotary Club de Feira de Santana, em 1956-1957, e publicou os livros "Prisão Preventiva" e "Em Defesa de um Espólio". Faleceu em Salvador, em 1966, aos 55 anos de idade. Além de Feira e Santa Bárbara, em outras cidades seu nome foi emprestado para nomear escolas e logradouros públicos.
"Carlos Valladares morreu pobre, mas deixou um rico legado para a família e para os amigos, um exemplo de probidade moral, de profissional hábil, de um homem ponderado, de um cidadão culto e de um pai de família responsável e dedicado", destacou a professora Lélia Vítor.
A filha do homenageado, Celice Valladares disse que lembrar do pai dela em uma sessão especial do Legislativo feirense representava "uma glória muito grande". Ela agradeceu e parabenizou a Câmara Municipal em nome da família e dos amigos de Carlos Valadares, destacando ainda, que ele nutria "um imenso amor pela cidade".
A sessão foi prestigiada pelo secretário da Educação José Raimundo de Azevêdo, desembargador do Tribunal Regional do Trabalho Raimundo Pinto, prefeito de Santa Bárbara Jailson Costa dos Santos, ex-prefeito de Feira de Santana Joselito Amorim, ex-vereador Renato de Sá Bittencourt, e membros da Academia de Letras e Artes de Feira de Santana.

 

(Extraído do Blog Por Simas, com informações da Assessoria de Comunicação da Câmara Municipal de Feira de Santana)

 

Nenhum comentário:

Postar um comentário